Serviço de odontologia nas UTI’s reduz em 60% o risco de pneumonia aspirativa


Há três meses o hospital Cassems de Campo Grande implantou um serviço de odontologia hospitalar. Essa intervenção reduz em até 60% os índices de pneumonia associada à ventilação mecânica, isso pode reduzir também o tempo de internação do paciente. Existe uma lei que preconiza a presença do cirurgião dentista dos CTIs, de todo estado de Mato Grosso do Sul. O dentista faz parte da rotina, ele passa fazendo visitas todos os dias junto com a equipe multiprofissional, com isso podendo ajudar até no possível diagnóstico de alguma patologia que às vezes estava desconhecida. O paciente no ato da intubação, essa bactéria que está na cavidade oral pode se instalar no pulmão, podendo levar à uma pneumonia aspirativa por causa das próprias doenças da cavidade oral. Quando o dentista entra na complexidade hospitalar, ele vai fazer a redução de foco, limpeza da cavidade oral. Se a gente remove essa infecção antes do tempo predeterminado, a gente consegue reduzir mais de 60% da pneumonia aspirativa, então o nosso objetivo principal é descontaminar a cavidade oral. Cada paciente intubado recebe uma escova de dente prescrita pelo dentista. O procedimento de limpeza é feito duas vezes ao dia pelos técnicos de enfermagem utilizando uma solução bucal específica. Na UTI pediátrica, a presença do dentista também é fundamental. O que acontece? A gente sempre pensa no adulto, na doença periodontal, levando à pneumonia. Em crianças, é muito comum a criança ter cárie, apresentar lesões de cárie. Então qual é a minha função específica dentro da pediatria pensando no CTI pediátrico? Eu oriento desde as mamãezinhas com bebezinhos, “Olha quando começar a nascer o dente precisa higienizar o dente”, até as crianças que já têm dente e aí eu vou falar para a mãe falar para a mãe: “Você está escovando? Você está limpando?”. Porque a lesão de cárie também pode progredir para uns abscessos dentários. O que acontece muito também? As crianças têm estomatite, que são várias aftas na boca, isso também pode acontecer por algum uso de medicações. Mariana ficou um mês internada e precisou dos cuidados da dentista para conseguir se alimentar. Ela apresentou muitas lesões devido ao uso de muitos medicamentos do tempo que ficou internada. Essas lesões na cavidade oral estavam dificultando ela a desmamar da sonda que fazia ela se alimentar para pode ir para a cavidade oral. Então, a gente usou o laser com o objetivo de ajudar essa cicatrização, diminuir esse tempo da sonda para poder fazer com que ela se alimentasse melhor. A parte odontológica foi bem bacana mesmo. Pelo atendimento que foi muito bom, ela teve uma condição de melhora muito rápida na recuperação da língua, que ela teve uma lesão bem grande mesmo e na parte interior da boca também. Então graças a Deus hoje ela está recuperada.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *